quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Cinéfilos sofrem em Itabuna

O visual mais limpo e iluminado do cinema, antes de 2007

Matéria que escrevi, publicada originalmente, com algumas modificações, no Jornal A Região, em Agosto de 2009. Segue abaixo o texto original, integral, atualizado neste mês.

"Problemas no cinema de Itabuna incomodam e afastam o público"

As reclamações giram em torno da falta de variedade de filmes em cartaz e omissões de estréias à estrutura física do cinema.

Inaugurado em 2001, um ano após a abertura do Jequitibá Plaza Shopping, o Starplex Cinemas funciona em duas salas na cidade. Em 2007 o cinema passou a ser gerenciado por um novo grupo, mas os problemas começaram desde a primeira administração.

Nos primeiros anos do cinema era um fato comum os funcionários se recusarem a vender uma entrada aos clientes, se julgassem que as salas de exibição não estavam cheias o suficiente. O cancelamento repentino de filmes e sessões também era constante.

Outra irregularidade frequente era, nas estreias de grandes produções, ou em finais de semana em que havia maior movimentação no shopping, venderem ingressos extras que resultavam na superlotação das salas, acomodando espectadores nos corredores, sentados em cadeiras da praça de alimentação ou até mesmo no chão.

Em uma das comunidades virtuais dedicadas ao Starplex na rede social Orkut, A Região perguntou o que mais incomodava o consumidor no cinema e o que poderia ser feito pra remediar a situação.

Um dos comentaristas apontou problemas nos sistemas de projeção, áudio e ar-condicionado do cinema. As duas salas de exibição estão com problemas estruturais, que vão desde a falta de lâmpadas nas laterais a um grande rombo no teto, passando por cadeiras com o forro rasgado, cheiro de mofo e piso descascado e sujo.

O excesso de lançamentos dublados, mesmo os com classificação etária mais elevada, também tem incomodado o público. É uma tendência que está crescendo no Brasil, e que incomoda boa parte dos espectadores.

A falta de segurança e fiscalização dentro das salas também é citada como um problema. São relatados casos que vão de bebês chorando dentro do cinema até a baderna mais explícita, como crianças maiores correndo e gritando livremente pelos corredores.

Também são citados arremesso de garrafas de refrigerante e clientes tirando fotos durante a projeção. Os lanterninhas só aparecem para restabelecer ordem se forem acionados por algum cliente, que consequentemente tem que sair da sala e perder parte da projeção.

As estréias nacionais, outrora freqüentes, também estão mais escassas e, mesmo contando com duas salas, muitas vezes o cinema vem ficando com apenas dois ou três filmes em cartaz. Há duas semanas, nenhum título novo entrou em cartaz, permanecendo os mesmos títulos da semana anterior.

No guichê de venda de ingressos, os cartazes informam que a indicação da classificação etária dos filmes é respeitada, mas não é raro flagrar crianças em filmes com censura a partir de 14 anos.

Os preços dos ingressos são alterados constantemente e sem nenhum tipo de aviso prévio. O cinema não conta mais com um site oficial, que foi desativado, tendo somente a sua programação divulgada em uma seção no portal do Jequitibá e em sites como o do A Região.

Os ingressos não são vendidos no cartão de crédito e só é aceito o pagamento à vista. Também há problemas de projeção. Recentemente, A Mulher Invisível foi exibido com a janela inadequada, o que ocasionou tarjas na tela, e Harry Potter e o Enigma do Príncipe teve problemas no som em algumas sessões.

Gerência nega os problemas

Adriana Oliveira, gerente do Starplex Cinemas desde 2007, negou a maior parte dos problemas. Quanto à estrutura da sala, afirma que o sistema de som passou por uma manutenção recente e que muitos clientes elogiam o áudio das salas, sendo que outros saem da sala e solicitam que o som seja abaixado.

“É muito difícil agradar a todos”, resume, afirmando-se surpresa com o relato de um possível problema em uma das telas de exibição. “Pode ser que tenha havido algum problema na película, mas na tela, jamais”.

Em relação aos distúrbios dentro da sala, ela garante que ela mesma e os funcionários fazem rondas nas salas, e que não pode impedir que uma mãe entre na sala com um bebê de colo, e que as mães “sempre saem para acalmar a criança no lado de fora”.

Quanto aos arremessos de objetos, ela diz que se trata de uma inverdade, já que o problema nunca foi detectado por ela ou funcionários. Quanto a crianças correndo, ela acredita que isso só acontece em sessões legendadas de filmes com classificação baixa, que não prendem a atenção das crianças, que são então retiradas da sala.

Os filmes dublados, que hoje são maioria no Starplex, não é uma imposição da Sercla, o grupo que administra o cinema, ou das distribuidoras, mas sim uma escolha da administração de Itabuna, que tem autonomia para escolher o idioma da cópia.

Adriana declara que só alguns clientes reclamam, e que é necessário trazer cópias em português para filmes com baixa classificação etária baixa para evitar a distração das crianças e correria nas salas.

A presença de filmes não infantis dublados no cinema é uma realidade em todo o país, mas em cinemas como os do tipo Multiplex, que dispõem de diversas salas de exibição e geralmente oferecem as duas opções, áudio original e dublado, aos seus clientes.

A gerente do cinema também não vê a necessidade da realização de promoções, apontando que o valor do ingresso é reduzido as segundas e quarta-feiras e porque “a maioria dos clientes tem direito a compra da meia-entrada”, que só é vendida mediante comprovação no guichê de vendas.

Ela reclama que alguns clientes não respeitam esta regulamentarização, e cita casos de profissionais como médicos e professores universitários que insistem em comprar as entradas mais baratas, mesmo sem ter direito ao benefício.

A meia-entrada é destinada apenas a estudantes, menores de 18 anos, maiores de 60 anos e portadores de necessidades especiais.

Filmes atrasados

Títulos que vem fazendo sucesso nas salas do país, como Star Trek, Inimigos Públicos e Duplicidade, Arraste-me Para o Inferno e Brüno ainda não chegaram a Itabuna. (NOTA: depois da publicação da matéria, apenas Arraste-me... foi exibido, mais de um mês depois de sua estreia nacional)

Adriana explica que para viabilizar uma estreia é feita uma negociação com as distribuidoras, que impõem diversas condições, como tempo mínimo de exibição do filme, o que ocasionalmente inviabiliza a chegada de algum título.

Ela acredita que o cinema de Itabuna está “trazendo todas as estreias” e que recentemente, quando não chega nenhum título novo, o fato se dá porque há filmes em cartaz que por contrato não podem dividir a sala com outro título.

A gerente aponta que a freqüência do cinema está sendo considerada bastante satisfatória. Parte do público insatisfeito com o Starplex parte para outras opções, sendo o cinema de rua de Ilhéus, Cine Santa Clara, recém reformado, uma delas.

O filme de maior bilheteria dos cinemas no ano passado, Batman – O Cavaleiro das Trevas chegou a Ilhéus no dia da sua estreia mundial, em cópia legendada. Já no Starplex, só foi exibido um mês depois, e em cópia dublada.

As estreias desta semana no Starplex são a comédia A Proposta, já há um mês em cartaz no país, e Halloween – O Início, título que causou polêmica no país por ter tido as cenas de violência cortadas abrupta e ilegalmente pela sua distribuidora brasileira, para a obtenção de uma classificação etária mais branda.

A construção de uma terceira sala, prometida desde a inauguração do cinema e que possibilitaria uma maior a variedade de filmes, está prevista para 2010. Segundo a administração do cinema, faz parte dos planos de expansão do Jequitibá Plaza Shopping.

Atualização em Janeiro de 2010

As reclamações sobre o funcionamento do Starplex continuam, como pode ser atestado na comunidade mais ativa do estabelecimento, no Orkut. Embora alguns problemas, como a cratera no teto de uma das salas, tenham sido resolvidos, a bagunça e a desorganização ainda imperam. Todos os problemas negados por Adriana Oliveira continuam em pauta por lá.

Mas o que mais incomoda no cinema é a pobreza da programação, com pouca variedade de estreias e a ausência de filmes importantes, que privam a clientela de Itabuna e região de manter-se atualizada quanto aos lançamentos do circuito. Recentemente, o filme Tinha Que Ser Você chegou ao Starplex quando já estava disponível em Dvd e Blu-Ray há mais de uma semana nas locadoras de Itabuna...

Ainda mais grave é a precariedade das projeções. Tenho ido bem pouco ao cinema, justamente porque acho um absurdo pagar caro pra receber um serviço porco – e sem direito a reclamações. Ano passado, numa sessão de Arrasta-me Para O Inferno, toda a seqüencia inicial, vital para o entendimento do filme (e mesmo se não fosse...), a tela ficou totalmente dividida ao meio, tornando impossível entender o que estava acontecendo.

O problema só foi corrigido porque os presentes na sala começaram a gritar (?!?) para o responsável pela projeção – que deveria estar, err, trabalhando e prestando atenção ao que estava acontecendo. Não houve reembolso, nem pedidos de desculpa por parte da administração do cinema.

Numa sessão do último exemplar da série Harry Potter, o áudio estava modificado e inaudível por pelo menos os dez minutos iniciais da projeção. Eu tive que sair por DUAS vezes para ir reclamar na bilheteria do cinema, porque não havia nenhum lanterninha dentro da sala.

Da segunda vez que eu, espectador pagante, tive que me levantar e perder trechos do filme (mesmo com áudio ruim), ao invés de receber um pedido de desculpas, tive que encarar cara feia das funcionárias, recebendo uma reposta ríspida. Voltei para a sala, outras pessoas começaram a berrar (ali nem no grito funciona), as luzes se acenderam e a projeção foi interrompida e depois continuou normalmente. Sem maiores explicações.

No início de uma das projeções de Se Beber, Não Case, em pleno sábado a noite, o filme começou a passar com a janela errada, logo a imagem ficou achatada, causando estranheza no público. O erro foi corrigido,só que mais uma vez, sem desculpas ou reembolso. Não há reparação pelo péssimo serviço.

Numa barulhenta sessão de Avatar, no último mês de dezembro, com crianças correndo e gritando na sala lotada, tive que me levantar diversas vezes para fechar as cortinas laterais, já que as luzes do corredor que levam às salas ficam ligadas, e quem senta nas primeiras poltronas laterais é incomodado com a luminosidade e o barulho que vem de fora. O que diabo os lanterninhas do Starplex fazem durante as exibições? É falta de pilha?

As duas administrações

A primeira administração do Starplex pecava também (todos os trechos referentes a isso na matéria original foram omitidos pelos editores do A Região), já que não era incomum anunciarem um filme na sexta feira, e o mesmo só entrar em cartaz no sábado ou no domingo – este “atraso” ocasionalmente ocorre na gestão atual, mas pelo menos eles avisam nos cartazes.

Também era comum que os funcionários se recusassem a vender a entrada, alegando que não havia “público o suficiente na sala”. Eu ia para casa, contrariado. Por causa disso,deixe de ver na telona filmes importantes como Marcas da Violência. Quando esse absurdo se insinuava novamente nesta nova administração, uma cara feia (bem ao estilo de alguns funcionários do cinema) e uma ameaça de reclamação a gerência ou administração do shopping resolviam o problema.

Mas, ao menos, a programação, apesar de não ser excepcional, trazia escolhas interessantes e opções para o público adulto. É difícil imaginar hoje títulos como Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças ou Diários de Motocicleta, filmes distribuídos pelas grandes produtoras, mas de perfil comercial relativamente mais restrito, que o antigo pessoal trouxe à cidade, sendo exibidos em Itabuna. O vencedor do Oscar de Melhor Filme em 2008, Onde Os Fracos Não Têm Vez, passou em Ilhéus no Cine Santa Clara. O público de Itabuna não chegou nem a ver um cartaz do filme.

Sabemos que é um cinema de interior e que precisa dar lucro, mas a infantilização da programação beira o absurdo. Se um adulto quiser ver um filme, esta semana, em Itabuna, ele vai ter que escolher entre Avatar, Sherlock Holmes, Alvin e os Esquilos 2, A Princesa e o Sapo, Lula – O Filho do Brasil e Atividade Paranormal.

Este último é o único exibido com legendas. Os dois primeiros, blockbusters populares, estão sendo exibidos em cópias dubladas. O filme de Lula, um fracasso em escala nacional,continua em cartaz há semanas, possivelmente por questões contratuais. Atividade foi lançado no último trimestre do ano passado, mas só chegou aqui na semana passada. Os vendedores de filmes piratas estão se dando bem em Itabuna.

O circuito exibidor nacional vem contando cada vez mais com cópias legendas, mas ao menos nos multiplexes da vida, há a opção de se conferir o filme com o áudio original. Obviamente, em Itabuna isto não acontece.

Não há ações de marketing, propaganda ou promoções. A última manifestação da administração do cinema no Orkut, único meio ativo de contato com o público, além dos telefones, foi o recolhimento dos e-mails dos interessados em receber semanalmente a programação das duas salas.

Interessados em reclamar e exigir mais qualidade do Starplex podem mandar uma mensagem pro site da Sercla, empresa responsável pelo cinema. O Starplex mesmo continua sem uma página própria na internet. No site do Jequitibá Plaza Shopping podemos conferir a programação, embora nem sempre as informações estejam atualizadas.

Nós, espectadores, queremos apenas o mínimo: qualidade, conforto, variedade e respeito por parte da administração. Acredito que não é pedir demais, mesmo em se tratando de Itabuna, onde a má vontade e o mau serviço imperam em diversos setores.

Para a administração do cinema de Itabuna, o espectador tem cara de palhaço.

6 comentários:

Saul disse...

Apesar de precisar de uma revisão, é o melhor texto que já lí no seu blog, ácido, cruel, violentamente explícito, enfim: pau no cu desses cinemas toscos da região cacaueira kkkkkkk gostei da falta de papas na língua!

E viva a baixação na net, assistindo na tela do computador com um bom fone eu ganho muito mais que nessas telonas de projeção relenta.

João disse...

Haha, valeu Mutcho Loko. Dei uma revisada e consertei alguns erros. E, no fim, a esperança é a última a se lascar né,rsrs

Victor Costa disse...

Sensacional o texto! Ilustra muito bem os principais problemas do Starplex, desde o atraso na exibição dos filmes em relação ao circuito nacional até o mau humor com que os funcionários recebem os clientes.
Depois os administradores ficam sem saber porque o pessoal prefere baixar o filme via torrent ou comprar DVD pirata a frequentar o cinema...

Gian disse...

Sensacional!
Adriana devia guardar essa reportagem na porta da geladeira da casa dela, pra que ela pudesse ver todos os dias e pelo menos TENTAR tomar uma atitude pra melhorar essa porcaria que ela chama de administração.

Wendy disse...

É isso ai, se esse cinema não vai pra frente, é preferível que feche as portas de vez, afinal ninguém merece passar por cara feia e constrangimentos vindo dos funcionários que ao mais parecem estar fazendo um favor pra nós. E se a tal da "Adriana" nao consegue manter ordem, conforto ,boa qualidade que tipo de gerente é essa? A gente só exige o que é de direito nosso, até por que estamos pagando. Bom até agora não se sabe se o cinema vai ou não fechar, mas muitos boatos correm, mas nenhuma declaração vinda da gerente. A gente merece um pouco de respeito e consideração, afinal somos nós que levamos o salário desses que não dão a mínima para nós.

Luíza disse...

ISSO É UMA PUTA FALTA DE SACANAGEM QUE FIZERAM COM A GENTE! >.<
Tudo bem que o cimena está precisando de uma reforminha, MAS NÃO PODIA ESPERAR ESTREAR HARRY POTTER E AS RELÍQUIAS DA MORTE NÃO?!