segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Filmes de Janeiro de 2008, com comentários

Halloween (2007, Rob Zombie) **

Rob Zombie, provavelmente pra ter uma desculpa por mexer no clássico de John Carpenter, inventou toda uma história pro passado do Michael Myers, e o que era sinistro e misterioso, portanto funcional, vira uma baboseira inútil, que tira parte da aura do psicopata.

Quanto aos sustos, que poderiam ser uma atração a parte, decepção: assistimos indiferentes a violência, mesmo quando Zombie pega pesado. Crítica detalhada mais a frente. E afinal, vai direto pra dvd aqui no Brasil?
Visto no computador.


Escorregando para a Glória (Blades of Glory, 2007, Josh Gordon) **1/2

Mais um grande sucesso do Will Ferrel que estourou nos EUA mas que ninguém, compreensivelmente, viu por aqui. Esse é bastante inferior ao ótimo Ricky Bobby, mas é bem divertido. Jon Heder, com aquela cara de idiota, está impagável.
Visto em dvd.


Ligeiramente Grávidos (Knocked Up, 2007, Judd Apatow) ***

Este novo hit do Judd Apatow foi tão, mas tão elogiado por críticos confiáveis que acabei achandoapenas bom. Esperto, maduro e bem conduzido, é um filme bacana, mas não é tão sagaz quanto O Virgem de 40 Anos, nem provoca tantas risadas como o excelente Superbad, que foi produzido por Apatow. Menos gente, menos.

Ah, e muito bom ver a Katherine Heighl, que poderia estar no limbo dos filmes teens e limitada à tv, aproveitando um papel decente.
Visto no computador.


Antes do Pôr-do-Sol (Before Sunset, 2004, Richard Linklater) *****

Filme que eu admiro demais, e que não adianta elogiar tanto agora, vem um texto aí.
Revisto em dvd.


Histórias Proibidas (Storytelling, 2001, Todd Solondz) ****

Mais um filme ácido do impagável Todd Solondz, e que felizmente é melhor executado do que Felicidade, que é o seu filme mais fraco, embora o mais falado e discutido. O final da segunda história é impagável, um dos melhores que eu vi ultimamente. Pena que á um filme tão pouco conhecido: além das maldades saudáveis, no fundo , de Solondz, há uma bela crítica aqui não apenas em relação ao cinismo e desonestidade de cerats criações artísticas, mas ao lado bonitinho -e fake- da vida que muito cineasta consagrado ainda insiste em imprimir em seus filmes. Impagável.
Visto no computador.

Bem-vindos à Casa de Bonecas (Wellcome to the Dollhouse, 1996, Todd Solondz) ****

O filme que estourou a carreira de Solondz é de uma crueza e sagacidade insuperáveis. Aqui há seqüestro, pedofilia, irmão querendo matar irmão, ameaça de estrupo enter adolescentes, pais que desprezam filhos, mas acredite, é tudo muito engraçado e reflexivo. Deviam passar esse nas escolas.
Revisto no computador.


Clamor do Sexo (Splendor in the Grass, 1961, Elia Kazan) ****1/2

Do mesmo roteirista do sensacional Férias de Amor, e com uma Natalie Wood perfeita, é um belo exemplar de clássico ousado, com uma clareza no que tange a sexualidade que parece não existir mais no cinema mainstream norte-americano. Filme belíssimo, e absurdamente indisponível em dvd aqui no país.
Visto no computador.


Ponte para Terabítia (Bridge to Terabthia, 2007, Gabor Csupo) ***

Bom filme infantil, tocante e tudo mais, que surpreende por deixar as bobagens d elado e ser mais sério do que parece. Podiam fazer mais desses.
Visto em dvd.


À Francesa (Le Divorce, 2003, James Ivory) ***1/2

Delicioso filme de James Ivory, abandonando temporariamente os de época, e colocando um elenco excelente de americanos e franceses pra passear por Paris com ótimas tiradas. Ou você acha essa história de conflitos e preconceitos culturais uma chatice sem fim ou algo muito divertido, o que foi o meu caso. E Naomi Watts, é bom dizer sempre, é maravilhosa.
Revisto em dvd.


Á Sangue Frio (The Ice Harvest, 2005, Harold Ramis) ***

Filme do geralmente bom Harold Ramis, mas que passou despercebido nopaís e foi diretopra dvd. Merecia mais, afinal é bem divertido. Humor negro, Natal e Billy Bob Thorton sempre funcionam bem juntos.
Visto em dvd.


A Bússola de Ouro (The Golden Compass, 2007, Paul Weitz) *

Um dos filmes mais insuportáveis que eu já vi em minha vida, e não quero falar mais sobre isso.
Visto no cinema.

Beleza Roubada (Stealing Beauty, 1996, Bernardo Bertolucci) ***1/2

Bela surpresa esse filme que eu já conhecia “de vista”, mas que só fui ver recentemente e já adicionei à videoteca. Charmoso e muito bem filmado, beira a afetação mas é uma delícia enquanto dura. E por que a Liv Tyler não continuou daquele jeito, hein?
Visto em dvd.


Fonte da Vida (The Fountain, 2006, Darren Aronofski) **1/2

Considerando que este é um daqueles filmes que eu vou ver com total descrença, até que não é tão ruim. Filosofia vagabunda, idéias a frente de seu tempo (risos) e efeitos especias que distraem são algumas das caracteristícas da mais nova afetação de Aronofski, que pelo menos dirige melhor nesse aqui. Hugh Jackman está ótimo, e eu já estou enjoando da Rachel Weizs, ela atua igual em todo filme. Mude de agente ou seja mais criativa.
Visto em dvd.


Retratos de uma Obsessão (One Hour Photo, 2002, Mark Romanek) ***
Bom suspense do clipeiro Romanek, estreiando com segurança no cinema. Robin Willias está ótimo aqui.
Revisto em dvd.


Eu Sou A Lenda (I Am Legend, 2007, Francis Lawrence) **1/2

O filme já começa muito bem com uma ponta surpresa da grande Emma Thompson, e é interessante ver o Will Smith se lascando pela cidade vazia, mas é o típico blockbuster que vai esvaziando rumo ao final, e os efeitos especiais, que de tão mal feitos tiram o foco da história e acabam atrapalhando tudo, o que é muito grave num filme tão caro e hiperdesenvolvido como esse- problema semelhante aconteceu no filme anterior de Lawrence, o Constantine. Este aqui é menos afetado e melhor construído, mas ainda sim com falhas. Desperdício.
Visto no cinema.


Uma Linda Mulher (Pretty Woman, 1990, Garry Marshall) ****

Uma das comédias mais bem executadas que eu já vi, e sempre divertida de rever. Já tem texto no blog.
Revisto na tv.


Legalmente Loira (Legally Blonde, 2001, Robert Luketic) ***

Comédia bem besta e divertida que trouxe mais uma ótima criação de Reese Witherspoon, grande comediante, e não só isso.
Revisto em dvd.


Filhos do Silêncio (Children of a Lesser God, 1986, Randa Haines) ***

Bom drama clássico dos anos 80, com ótima atuação do casal central. Pena que a diretora Haines não decolou, afinal demonstrou competência aqui, principalmente nas cernas de amor
Revisto em dvd.


A Fraude (A Little Trip to Heaven, 2005, Baltasar Kormákur) **

Drama policial bem bestinha, feito por islandeses mas com elenco americano, destacando uma Julia Stiles em boa atuação, naquilo que sua personagem permite. O mesmo não se pode dizer do Forest Whitaker, irritante. E o desfecho do seu personagem beira o patético.
Visto em dvd.


Encantada (Enchanted, 2007, Kevin Lima) **

Bem bobinho, mas que deve funcionar entre as crianças. A Amy Adams está ótima, mesmo que a sua idéia de uma princesa seja a de uma mulher com problemas mentais.
Visto no cinema.


Hannah E Suas Irmãs (Hannah and her Sisters, 1986, Woody Allen) ****1/2

Grande filme de Allen, misturando em doses perfeitas tema como fraternidade, adultério e o medo de morrer, entre outras amenidades. Não o que elogiar sem cair na redundância, o filme é quase perfeito e te deixa com um belo sorriso no finel. Uma obra-prima, que merece ser mais assistida.
Revisto em dvd.


Eu, Você e Todos Nós (Me, You and Everyone We Know, 2005, Miranda July) ***1/2

Uma das grandes sensações do cinema indie anos atrás, este filme da artista plástica Miranda July merece um desconto por parte dos mais cínicos. Bela história de afeto e desilusão, com boas críticas ao mercado de arte moderna no meio, sem falar nas cenas envolvendo a internet e as crianças mais convincentes que eu já vi num filme nos últimos tempos. Bastante eficaz, e com um final belíssimo.
Visto no computador.

5 comentários:

Geo disse...

Gato, eu gostei mais do que imaginava de Eu Sou a Lenda...só não entendi os zumbis atléticos. Tb acho Constantine uma droga, especialmente pq é total sem nexo e anti-tabagista :p (rs)
Acho a Julia Stiles fofíssima, apesar de só ter visto ela aos beijos com o Heath (aiai..) e naquele filme chato com a Julia Roberts...já a Reese, não gosto daquela cara de maçã e só penso nela em uma palavra - típica.
No mais uma super saudade de vc! Adoro seu blog, os melhores comentários do mundo =D

Vamo fazer um bolão do Oscar? Que acha? :***

LG disse...

algo me diz q se eu rever before sunset vou achar metade do que vc acha dele. ou não. anyway, merece uma revisão, como o sunrise.

ps: não fale mal de tio darren... ¬¬

Heron disse...

adoro posts longos, eles rendem!

tá vendo como trailers enganam? a gente ficou lôco com a prévia de halloween e afinal pisamos na jaca... bom, o trailer do novo batman é de fudê tbm, vamos ver no que dá

antes do por-do-sol é bem bom, mas é super-valorizado, creio eu... tem uma cena no carro q eu acho ridécula, sabe qual é? aquela q eles desabafam e choram, uma baixaria

no mais, acho q vc foi pouco generoso com Ponte para Terabitia e muito muito muito generoso com Eu sou a Lenda...

ROBERTO disse...

Gostei da maior parte das notas e das críticas...única discordância discrepante seria para "Uma Linda Mulher", que eu acho bem fraquinho e ultrapassado, principalmente...Before Sunset acho uma obra singular, tanto em ritmo, atuação como na contrução dialógica...uma continuação excelente. Queria que você me emprestasse esses filmes do Todd Solondz...dizem que "Felicidade" é na mesma linha do "tempestade de Gelo", do mestre Ang Lee (THE GENIUS), que eu considero uma obra-prima.

João Daniel disse...

Heron,pra vc ver o que é percepção: eu adoro essa cena q vc acha bizarra, aliás,só vejo pontos altos nesse filme.

Ponte para..não tem nada de demais,e o do Will Smith tem coisas boas,pena q perdeo rumo depois.

Robert, que bom que curte o Ang Lee,acho até q a gente ja falou sobre ele - é um dos meus favoritos.

O Solondz é bem diferente dele-digamos que -é uma versão bem mais dark,ácida e impiedosa.

Qto ao Pretty Woman,eu o acho uma da smelhores comédias do cinemão americano, mmuito bem escrito e atuado,e que envelheceu quase bem. Eu gosto,tem um texto no blog sobre ele.